Outubro 2017 | Para Lá da Kapa

DESTAQUES DA SEMANA

terça-feira, 24 de outubro de 2017

A LUZ — Opinião do livro do Stephen King

A Luz de Stephen King
Título: A Luz (The Shining)
Autora: Stephen King
Sinopse: Em anexo
Lançamento: meados de 1979
Editora: Biblioteca Sábado

Ainda não tinha tido acesso a nada do Stephen King. Com o romance A Luz, fiquei a conhecer a sua qualidade literária. Possui uma escrita acessível e intensa, embora tenha ficado fatigado após os primeiros capítulos.

 A Luz  é um das obras mais briosas do escritor. Talvez a conheça pelo filme de sucesso dos anos noventa The Shinning, ou pela série que mais tarde veio a ser realizada para fazer jus ao livro. (Na minha opinião, o filme fugiu totalmente do enredo original do Stephen King, motivo que levou ao desenvolvimento da série).
A Luz Para Lá da Kapa
 Voltando ao livro, a leitura inicial cativa e cria expectativa. Somos abordados por uma família, os Torrance, composta por um casal e pelo seu filho especial. Jake Torrance, marido e pai, é um ex-alcoólico que arruinou a sua carreira promissora. Sem emprego e com falta de dinheiro, ele é obrigado a aceitar o primeiro trabalho que lhe propõem: ser o zelador de um hotel que encerra durante o inverno.

 O desejo da bebida está sempre presente e destacada, o que fadiga uma ideia que podia ser maior. A tradução não foi a melhor, todavia, não é por isso que a obra perde a cor. De todos os capítulos, os de Danny, a criança especial do casal, foram os que me despertaram maior apreço. Reconheço que, apesar dos contras, A Luz foi uma leitura agradável, embora indigna da estima quase divina do autor. A meio do livro já tinha adivinhado o final.

Sintetizando, não fiquei encantado com A Luz. Todavia, como ainda só li esta obra do Stephen King, é demasiado cedo para o julgar com justiça. Irei ler outro livro dele em inglês, para não estar sujeito a traduções, e então darei a minha opinião fundamentada.


Sinopse

  Jack Torrance vê-se forçado a aceitar um trabalho como zelador de Inverno do Overlook, um enorme hotel nas montanhas do Colorado, um lugar que queda absolutamente isolado pela neve entre Novembro e Março. Embora a vida nessas condições de isolamento não pareça fácil, para Jack é uma oportunidade perfeita para reconquistar a sua mulher Wendy e o seu filho Danny, e para retomar o seu trabalho de escritor. Mas a família não está exactamente sozinha no Overlook. Os terríveis acontecimentos que sucederam no hotel no passado vão-se assenhorando lentamente do presente dos seus novos ocupantes até os levar a uma situação aterradora, da qual talvez nenhum deles possa escapar...

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

O PEQUENO VAMPIRO — A Opinião do Filme Bambino


Título: O Pequeno Vampiro
Realizador: Richard Claus, Karsten Kiilerich
Lançamento: 19 de outubro de 2017
Trailer & Sinopse: Em anexo

O Pequeno Vampiro é um filme infantil com algum humor, onde o espírito do Dia das Bruxas vive com algum fervor. Anima qualquer criança!

 Um mundo cheio de magia e fantasia, tem uma animação de qualidade e um enredo razoável. Pode cansar um bocadinho os pais, pois é certo que não estamos perante de nenhum "Shrek para toda a família", mas satisfaz plenamente as crianças. A prova dessa felicidade foi a sala da antestreia, quando o filme terminou. 

🎃 Feliz dia das Bruxas! 🎃


Sinopse

  Tony, um miúdo fascinado por castelos e vampiros (o que não agrada nada aos seus pais), e Rudolph, que se tornou vampiro com a mesma idade de Tony, 13 anos, e cuja família está a ser ameaçada por um caçador de vampiros. Juntos, tornam-se amigos e tentam evitar que algo de muito mau aconteça. Um filme para toda a família mesmo a tempo do Dia das Bruxas.


Trailer

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Passatempo— O HERDEIRO DE ANTIOQUIA


Para Participar Basta:


  1. Gostar da nossa página de facebook;
  2. Gostar da página de facebook da Chiado Editora;
  3. Partilhar o passatempo (no facebook ou no google+, publicamente);
  4. Identificar três amigos num comentário, aqui ou no facebook.

  Funciona como uma entrada extra:


O passatempo termina às 23H59 dia 29 de outubro e é válido para residentes em Portugal.
Boa Sorte😉!


Sinopse

No Verão de 2013 Lisboa torna-se palco de desconcertantes homicídios. O inspector Alexandre Melo mostrou-se desde sempre céptico quando às provas incriminatórias, no entanto tudo se altera quando passa a ser o principal suspeito. Em parceria com Amélia, uma agente da CIA, viaja a um passado nebuloso e dissimulado, por organizações como a PIDE, Inquisição Espanhola ou os Arquivos Secretos do Vaticano, onde se depara com o mais dos surpreendentes enigmas que ensombra desde há séculos gerações de uma família.
O Herdeiro de Antioquia para além de um romance ficcional criado a partir de um facto histórico, a Conquista da Cidade de Antioquia, uma das páginas mais negras e obscuras da história da cristandade e acorrida em 1098 aquando da 1ª Cruzada, é em simultâneo um romance vertiginoso e sagaz que tem a capacidade de nos surpreender a cada passo até ao derradeiro parágrafo.

Com a colaboração da


segunda-feira, 16 de outubro de 2017

BLADE RUNNER 2049 — A Opinião do Filme

Para Lá da Kapa, opinião do filme
Título: Blade Runner 2049
Realizador: Denis Villeneuve
Lançamento: 05 de outubro de 2017
Trailer & Sinopse: Em anexo

Visto pelos olhos de quem não viu o filme original, o Blade Runner 2049 conta uma história satisfatória com efeitos visuais notáveis. 

  Não considero o Blade Runner 2049 uma obra-prima, mas também não concordo com os meus colegas críticos, quando dizem que é: "lixo de cinema, tal como o realizador". Só a obra anterior de Denis Villeneuve, A Chegada (um filme fascinante), contraria esta afirmação.

Para Lá da Kapa, Opinião do Filme

  Depois de sair do cinema com uma estranha apatia e decepcionado com o desempenho da sequela, fiquei com curiosidade de ver o Blade Runner de 1982. Tenciono passar uma tarde com ele em breve para poder comparar ao de 2017. Por agora, posso afirmar que as 3 horas deste filme me cansaram para o enredo diluído que tem. Os atores representaram decentemente, e os efeitos visuais são admiráveis, como era de esperar. 

  Penso que uma das razões que fez com que o filme não tenha sido muito bem recebido foi o tema. Entre o original (1982) e o Blade Runner deste ano de 2017 passaram-se 35 anos, intervalo suficiente para tornar o tema do filme menos ilustre e banal.

Se conhecem o anterior e querem ver este, aconselho a fazerem-no no cinema, onde os efeitos visuais são vistos com a definição que merecem. A idade mínima para este filme deve rondar os 13/14 anos, não menos!


Sinopse

A acção decorre na Califórnia (EUA), em 2046. Neste mundo existem "blade runners", agentes da Polícia especializados em distinguir e capturar replicantes – humanóides criados artificialmente para serem usados como escravos – dos verdadeiros seres humanos. Quando o agente 'K' descobre um segredo que poderá levar à destruição da Humanidade, resolve procurar Rick Deckard, um antigo "blade runner" que há três décadas se encontra desaparecido e que parece ser a única pessoa capaz de o ajudar a encontrar as respostas de que necessita…

Trailer

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

O ESTRANGEIRO — A Opinião do Filme

Martin Campbell Filme
Título: O Estrangeiro
Realizador: Martin Campbell
Lançamento: 12 de outubro de 2017
Trailer & Sinopse: Em anexo

Um filme atraente, realista e cativante.

  Não é por acaso que O Estrangeiro conta com um elenco de prestígio. A história também é pertinente, sem cair em exageros ou fantasias como o filme John Wick 2. Aborda o tema das reconciliações na Irlanda, como o novo filme A Viagem. Eu faço parte da geração que não vivenciou nem assistiu à tensão que houve na Irlanda do Norte, pelo que estes 2 filmes do tema foram o ideal para eu ficar familiarizado com o conflito.

Para Lá da kapa

  Existem muitos filmes de ação baseados em vingança e sobre o triunfo desse sentimento obscuro. Todavia, quase todos eles exageram na dose de ficção e, sobretudo, da condição humana. John Wick 2, como eu referi acima, sofre desse grande defeito: o melhor assassino, que mata 300 colegas igualmente treinados e, no final, ainda vai passear com o cão. Por isso mesmo, destaco o filme O Estrangeiro pela sua autenticidade e proximidade ao real. 

  Por outro lado, houve um pormenor menos positivo: o Início, que foi muito forçado. Depois disso, o enredo melhorou, acabando fluído como um rio. 

O Estrangeiro é um bom filme de ação, dos mais realistas deste ano. Aconselho a todos que os que buscam conhecimento sem tormento 😉


Sinopse

Há já quase duas décadas que o chinês Quan (Jackie Chan) vive na cidade de Londres, onde possui um restaurante. A sua vida é simples e resguardada. Um dia, a sua única filha é morta num ataque terrorista, que mais tarde se percebe ter ligações ao IRA (Exército Republicano Irlandês). Devastado, Quan tem como única missão de vida encontrar os responsáveis pelo ataque e fazê-los pagar. Quando percebe que nem as autoridades nem o Governo lhe dão as informações de que necessita, entra directamente em contacto com Liam Hennessy (Pierce Brosnan), um membro do Governo cujo passado parece estar relacionado com os autores do crime. Se, inicialmente, Quan é tratado com a natural benevolência dirigida a um pai em sofrimento, depressa todos os envolvidos compreendem algo fundamental: não há nada mais perigoso do que um homem sem nada a perder…

Trailer



quinta-feira, 12 de outubro de 2017

A SÍNDROME DE PETER PAN — A Opinião do Livro

Título: A Síndrome de Peter Pan
Autora: Eliana G. Pyhn
Sinopse: Em anexo
Lançamento: outubro de 2017
Editora: 4Estações Editora


A Síndrome de Peter Pan agradou-me pela sua leitura fácil e cultura que nos cativa. A escritora mostra-nos um exemplo de um casal que se conhece pela internet, Diogo e Virna. Um deles é verdadeiro e simples e o outro parece fantástico e genuíno, mas que, afinal, sofre desta síndrome.


  Já conheceram alguém carismático e atraente? Uma pessoa muito envolvente por fora, mas profundamente imatura, entediante e egoísta? É este tema polémico que o livro A Síndrome de Peter Pan aborda. Toda a gente sabe que conhecer alguém pela Internet é arriscado, mas daí a saber o que é esta síndrome é um verdadeiro desafio.
  Saibam que alguém que sofre da síndrome de Peter Pan é, simplesmente, um adulto que se recusa a crescer. Simples, não é? Descobri que muitas vezes convivemos com eles e não sabemos!




  Li-o em 2 dias e, embora não seja um enredo de tirar o fôlego, adorei a forma como a escritora exemplificou como as palavras têm o poder de manipular a mente. Não é por acaso que a J. K. Rowling diz que as letras são a fonte de magia infinita, ainda mais poderosas que o universo Harry Potter. Congratulo, mais uma vez, a autora pelo tema pertinente e a 4Estações Editora pela boa aposta editorial. 
 Não é demais referir que, apesar de a escritora dê ênfase à Síndrome de Peter Pan nos homens, ela também acontece nas mulheres.

Sintetizando, A Síndrome de Peter Pan é um livro agradável, um acréscimo à nossa cultura e, acima de tudo, uma obra onde as maiores monstruosidades podem parecer belas, se se usarem as palavras certas.


Sinopse

  O relacionamento apresentado neste livro mostra uma realidade que inúmeras mulheres enfrentam na vida quotidiana, tanto real como virtual, ao encontrarem parceiros portadores da Síndrome de Peter Pan. A história mostra as dificuldades vividas pelo homem Peter Pan e, também, pelas pessoas que se relacionam com ele. No desenrolar da trama, verá que este comportamento é muito mais comum do que se imagina, e provavelmente identificará alguém do seu convívio que possui o perfil do homem Peter Pan.

  Se este comportamento trás sofrimento as pessoas diretamente envolvidas, muito maior é o dano quando estas atitudes se multiplicam e passam a dominar o comportamento de uma sociedade. E é, precisamente o que vivemos hoje, uma sociedade carente de adultos, de referências maduras e de verdadeiros líderes, mas, saturada de comportamento adolescente. Uma sociedade de Peter Pans vive à margem do mundo real, caminhando sem rumo e sem propósito, resultando na estagnação de toda uma geração

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Livro da Semana

Bom dia, leitores!

 Deste lado da rede lê-se A Luz de Stephen King. Com a vergonha de não ter lido nenhum livro dele, agarrei-me a este thriller alucinante! E vocês? Qual é o vosso livro desta semana?


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

OS VAMPIROS DO NORTE — A Opinião da Obra

Título: Os Vampiros do Norte
Autor: João Carlos Pinto
Sinopse: Em anexo
Lançamento: julho de 2017
Editora: Chiado Editora

  Sabem aquele momento em que estamos a ler dentro do metro, rodeados de pessoas, e, de repente, sorrimos. Rimos, sem mais, nem menos! Os que estão à nossa volta estranham-nos, matutando: Um livro pode fazer rir? A resposta é bem simples: Sim! PODE! E Os Vampiros do Norte é o exemplo ideal. Para além do mais, é uma obra nacional, que enfatiza o bom povo português, enquanto repreende alguns dos nossos vizinhos... que bem merecem!

A Opinião da Obra

O enredo gira em torno do Trigo Roxo (mas todos o tratamos por TR), o inspetor de maior nome mundial. Quando um escritor toca no tema dos vampiros, arrisca-se a ficar queimado e a cair na banalidade entediante do tema. Todavia, este não é o caso! O João Pinto escreveu uma obra com pés e cabeça em que a própria surrealidade é posta à prova. Acredito, como leitor experiente, que este escritor tem potencial para ir longe. Basta aprimorar um pouco mais a escrita, focar na divulgação e estaremos a lidar com um bestseller.

 Também apreciei as histórias intercaladas no enredo principal, que me permitiram conhecer ainda melhor o TR, o terror de todos os criminosos! Imaginem um livro com a presença do Vaticano, da máfia russa, dos Estados Unidos, a superpotência mundial, de França, Espanha, Alemanha... E, claro, Portugal! O que estão a imaginar é o livro Os Vampiros do Norte.

 Sintetizando, Os Vampiros do Norte revelou-se uma muito agradável surpresa. É uma sátira cómica, bem desenvolvida e com muita criatividade. Congratulo o autor pela qualidade e a Chiado Editora pela aposta acertada.

Sinopse

O protagonista e narrador de Os Vampiros do Norte é Trigo Roxo, o inspetor da PJ mais temido pelos criminosos nacionais, multinacionais, espirituais e galácticos. A trama principal começa com a perseguição a um vampiro made inPortugal e termina com o resgate de escravos portugueses da barbárie perpetrada por pérfidos e sanguinários vampiros do norte, nos alpes da Baviera. A talho de foice da intriga principal, Trigo Roxo narra ainda outras operações que levou a cabo com sucesso, onde todos os outros fracassaram: a libertação no inferno, das garras de lúcifer, de dois dos poucos políticos que tiveram entrada no Céu; a aniquilação da praga de mortos-vivos, comandados por lobisomens, que se propagavam pela Sibéria e ameaçavam invadir todo o mundo; a recuperação, no planeta Yoda, de móveis de sala de jantar de design exclusivo, produzidos em Portugal, comprados, sem autorização do fabricante, por extra terrestres descendentes de terráqueos; e muitas mais aventuras de cortar a respiração.
Os Vampiros do Norte é uma sátira politica que não vai deixar ninguém indiferente. O autor aposta o seu pescoço em como, até mesmo os leitores mais exigentes, quando chegarem à última página do livro, vão ficar com água na boca e a chorar (ou será a rir?) por mais.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

MOMENTOS LITERÁRIOS

Notícias fresquinhas! O Kazuo Ishiguro, autor de vários romances, contos e roteiros de cinema, foi galardoado com o Nobel da Literatura 2017. Ainda não tive oportunidade de conhecer as suas obras, mas tenciono fazê-lo com a maior brevidade possível, para partilhar convosco a minha opinião pessoal. Já conhecem este escritor?


 O Lançamento da Síndrome de Peter Pan, um tema arrebatador, será esta quinta-feira às 19:00h na Bertrand Chiado. É um livro editado pela 4Estações Editora.


 A Origem, a obra mais recente de Dan Brown, chegou a Portugal com a promessa de ser mais um sucesso do escritor. Ele virá a Lisboa dia 15 para dar autógrafos. É um momento imperdível para os seus fãs!



quinta-feira, 5 de outubro de 2017

A VIAGEM — A OPINIÃO DO FILME

Título: A Viagem (The Journey)
Realizador: Nick Hamm
Lançamento: 5 de outubro de 2017
Sinopse: Em anexo

 Congratulo o filme por conseguir superar as nossas expectativas, sobretudo com um elenco tão reduzido (3 personagens centrais) e sem efeitos visuais aparentes. Eu desconhecia o passado da Irlanda e aprendi muito numa posição confortável e relaxada.


A nossa história começa com dois inimigos jurados: o reverendo Ian Paisley, líder do Partido Democrático Unionista (DUP), e o católico Martin McGuinness. Estes dois homens tem nas suas mãos o destino da paz nacional... Quando tudo parece perdido, uma reviravolta obriga estes dois velhos oponentes a fazer uma curta viagem de carro. Foi neste dia que eles mudaram o rumo da História!


 Como seria de esperar, esta obra tem alguma ficção e comédia pelo meio, devido à pouco informação acerca da viagem "misteriosa" que os dois políticos fizeram. O que eu posso afirmar é que os argumentos, o sotaque de cada um deles e os risos são exatamente iguais aos dos políticos de carne e osso que, depois desta viagem, ficaram conhecidos como os "Irmãos risonhos" (nos tempos que se seguiram, as suas piadas e risos em palestras e eventos públicos tornaram-se num exemplo mundial).


Em poucas palavras, aconselho qualquer um a ver este filme sem limite de idade e cheio de verdade. Não conhecia o realizador Nick Hamm, que agora tenho em grande estima.

Sinopse

  Até 2006, uma série de conflitos dividiram a Irlanda do Norte. As hostilidades aconteciam entre dois inimigos jurados: o reverendo protestante Ian Paisley, líder do Partido Democrático Unionista (DUP), e o católico Martin McGuinness, dirigente do Sinn Féin e antigo operacional do Exército Republicano Irlandês (IRA). Encontraram-se na Igreja de St. Andrews, na pequena cidade escocesa de Fife, para tentar chegar a um acordo de extrema importância para a paz do seu país. Quando se viram obrigados a fazer uma curta viagem de carro, estes dois homens, que sempre se habituaram a olhar-se como oponentes, perceberam que, na verdade, existiam mais coisas a uni-los do que a separá-los. Assim, após quatro décadas de violência entre católicos e protestantes, Paisley e McGuinness entraram nos livros de História, ao dar início a uma nova era de paz, criando um inesperado governo de coligação.

Trailer




quarta-feira, 4 de outubro de 2017

AMOR ÀS CLARAS — A Opinião do Romance

Título: Amor às Claras
Autora: Laura Kaye
Sinopse: Em anexo
Lançamento: maio de 2017
Editora: 4Estações Editora — O Castor de Papel
Tradutoras: Maria João Dornelas e Maria Augusta Júdice

 Amor às Claras  é a ansiada sequela do bestseller mundial

  É um livro que nos incita a pensar e a querer chegar ao seu fim, não tanto pela sua singularidade, mas sobretudo por conseguir transportar-nos do enredo para a nossa vida, e vice-versa. Embora a história não seja tão brioso como a do primeiro, é acessível e faz com que nos revejamos em vários âmbitos da nossa vida.


  Amor às Claras  mostra-nos Caden ao entrar na família de Makenna, com os seus dramas, alegrias e conflitos salgados.

O Castor de Papel

"Obrigado por cada pessoa com quem partilhamos esta refeição hoje. Que as nossas vidas nunca sejam tão apressadas e ocupadas que nos esqueçamos de parar para agradecer, para ver tudo o que temos na vida. A nossa família, os nossos amigos, as nossas casas,a nossa saúde, os nossos empregos."


 A oração acima refere-se ao dia de ação de graças, uma data que fiquei com vontade de celebrar, pelo conceito e pureza que o dia demonstra, sem interesses e onde se partilha com quem gostamos e com quem encontramos sozinho o nosso tempo, um bem cada vez mais escasso na nossa sociedade.


  A sequela fala de combater tabus pelas escolhas que cada um faz da sua imagem. Nem sempre a forma como escolhemos marcar o nosso corpo é uma leviandade. Às vezes, Aquela cicatriz, Aquela  marca, Aquela tatuagem, Aquele piercing... são a forma que temos de continuarmos o nosso caminho.

4Estações Editora

 Como não podia deixar de ser, a escritora Laura Kaye recheia o livro de amor. "Então és tu e eu, até ao fim. Na escuridão e na luz." Nem sempre o amor é rosa. O preto também é cor e pode ser amor.


Para finalizar, o  Amor às Claras  está bem conseguido, com um design tão apelativo quanto o primeiro, com o belo misticismo das luas a numerar as páginas e os querubins entre os capítulos.
 

Amor às Claras de laura Kaye

domingo, 1 de outubro de 2017

DESAFIO DE DOMINGO — O ANIMAL COM A NOSSA PERSONALIDADE

DESAFIO DE DOMINGO: 

  • Dizem que o primeiro animal que vemos nesta imagem diz algo sobre a nossa personalidade.
Comentem qual é o animal que vêem e eu digo-vos o que o teste sabe! 
Será verdade? 😏

Desafio de Domingo