Novembro 2017 | Para Lá da Kapa

DESTAQUES DA SEMANA

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

3 CONTOS FANTÁSTICOS | Ludwig Tieck — A opinião do romance

3 Contos Fantásticos
Autora: Ludwig Tieck
Sinopse: Em anexo
Lançamento: julho de 2007
Editora: Antígona

3 Contos Fantásticos representa o berço da ficção fantástica. O conto As Sífides é uma obra-prima. 

 Ludwig Tieck foi uma grande entidade do século XVIII. Conhecido pela sua criatividade e pensamento crítico, ele deixou-nos algumas heranças, como o 3 Contos Fantásticos.

Ludwig TieckUma obra composta por 3 contos de fácil leitura:






1. Eckbert, O Louco;
2. As Sílfides;
3. Magia do Amor.


     Os dois primeiros títulos são muito belos, e o terceiro ressalta a melancolia típica da época de Tieck. Os fãs de fábulas têm de ler o Eckbert, os admiradores do Harry Potter irão perder-se n'As Sílfides e os que precisam de uma representação de como se vivia no passado só têm a ganhar com A Magia do Amor. Dos 3 contos, gostei dos 2 primeiros. O terceiro cansou-me, talvez por estar carregado da polémica do fim do século XVIII.

    Crítica do livro

    Para uma obra como esta, posso dizer-vos que o preço que a editora cobra é pequeno (paguei 3 por ele na Feira do Livro do Porto), pelo que é uma boa alternativa para darem a alguém este Natal.


    Gostei do 3 Contos Fantásticos. Ainda para mais, o livro é económico e Tieck é um escritor europeu que devemos preservar. 


    Avalio

    Avaliação 3 Contos Fantásticos

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

GRU - O MALDISPOSTO 3 — Opinião do Filme

Gru filme 3
Título: Gru - O Maldisposto 3
Realizadores: Kyle Balda, Pierre Coffin, Eric Guillon
Lançamento: 29 de junho de 2017 - 
Sinopse & Trailer: Vê em baixo


  Tal como os anteriores, o terceiro filme do Gru transmite a importância da família, com uma dose de comédia à mistura e, o que mais gostei, uma banda sonora fantástica e bem integrada. 


São estes filmes que procuro mostrar aos mais novos! Que tenham moral, sejam cativantes, onde os mais velhos também se podem divertir, se forem com espírito para rir


  É um título que os mais pequenos conhecem e querem ver. No primeiro, mostraram a importância e sacrifício necessário para se ser pai, no segundo filme, vimos o caminho espinhoso do amor e, neste último, a (muita) paciência e carinho que se tem de dedicar à família. 
  Desta vez, o Gru presenteia-nos com um vilão traquina dos anos 80, sem, contudo, ter um pingo de crueldade, o Balthazar Bratt, que traz a música que tanto apreciei.

Gru 3

 Agora, sim, a família do Gru está completa! 


Sinopse

Despedido da Liga Antivilões por ter deixado escapar Balthazar Bratt, um dos mais bem-sucedidos (e irritantes) vilões que alguma vez cruzaram o seu caminho, Gru sente-se profundamente deprimido, humilhado e ainda mais maldisposto do que o habitual. Quando julga não poder descer mais baixo, é abordado por um estranho que lhe apresenta Dru, um irmão gémeo cuja existência desconhecia. Para sua surpresa, ele aparenta ser a sua antítese: é rico, charmoso, louro e bem-disposto. Dru, que também possui sangue de vilão a correr-lhe nas veias, propõe-lhe continuar a tradição familiar e formar parceria. Mas conseguirá Gru, agora convertido em pai e marido dedicado, resistir a tal proposta? Ou será que, bem lá no fundo, ainda tem a sua alma contaminada pelo desejo de cometer malfeitorias? 

Trailer

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Quantas páginas lês numa hora?

É um facto que cada mente tem o seu raciocínio, embora os resultados variem pouco:
Lemos 150 palavras por minuto.


  Pelo menos, era assim que pensava, até ouvir falar de uma espécie rara e crescente de leitores dinâmicos que conseguem ler 900 páginas por hora. Fazendo as contas, são 4 segundos por página! Citando um destes leitores:

“A minha leitura é diferente da tradicional. É uma leitura horizontal, em que a pessoa pega palavra por palavra, em vez de letra por letra. A minha leitura é na vertical, é uma visão só, mais ampla da página. Foi preciso muito treino! Eu lia todos os dias, diversos livros”.

Não discordo que este método seja possível e eficaz, mas estou relutante a outro ponto: Como é que podemos ler 900 páginas num minuto, mesmo com muita prática e lendo na vertical, se o objetivo dos livros é por-nos a pensar e a refletir? Não se pensa em 1 segundo!

Estou curioso... Eu leio uma média de 120 páginas por hora. Páro diversas vezes, penso e reflito. Esse é o meu significado de livro. E o teu? Quanto lês numa hora?

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

COCO — O melhor Filme de Animação do ano


Opinião do filme Coco
Título: Coco
Realizadores: Lee Unkrich, Adrian Molina
Lançamento: 23 de novembro de 2017
Trailer & Sinopse: Em anexo

Um filme com animações muitíssimo belas, uma história intensa e músicas notáveis. Não duvidem que o Coco é o melhor filme de animação do ano.



  Comecei a ver este filme com grandes expectativas. Tinha descoberto que o Hollywood Film Awards lhe dera o prémio de melhor animação de 2017. Com um prémio desta magnitude e sendo um título da Disney, só podia surpreender... Mas até que ponto?
Coco
 Coco deixou-me sem palavras! Arrisco dizer que é o filme com as animações mais bonitas que alguma vez vi. Todos os cenários são cuidados e refinados, e as personagens são algo impossível. 

 Ao contrário da maioria dos filmes realizados para o público infantil, Coco não é cansativo ou chato para os adultos, nem muito previsível. Prevejo, com toda a firmeza, que esta obra-prima vai dominar o pódio da Disney. 
Coco Disney
 Como se o que eu já referi ainda não chegasse, o filme gira em torno de uma história emotiva (ao ponto de fazer o público verter lágrimas), e com uma moral muito invulgar:

O que acontece quando partimos deste mundo? Até onde existiremos? Será a memória a nossa única glória? 
  
  Coco também é o indicado para os fãs da verdadeira música latina. Ao juntarem a música com as tonalidades e pormenores do filme, os realizadores formularam uma visão coerente da América hispânica, nomeadamente do México (que recebeu o filme com especial carinho).

  Por outro lado, tenho a referir um ponto menos positivo do Coco: O cliché inicial. Um rapaz com um sonho e talento, mas proibido de o alcançar pela família. Todavia, isto não é razão para denegrir o filme, uma vez que é virado para crianças e, para elas, ainda nada é cliché.

Assim, Coco encerra o cinema da Disney deste ano com uma qualidade difícil de superar.    

melhor filme de animação 2017
Coco, um filme para rir, chorar e saborear.

Sinopse

  Desde que se conhece como gente que Miguel, de 12 anos, sonha tornar-se um guitarrista famoso, tal como Ernesto de la Cruz, o seu maior ídolo. Apesar de toda a dedicação e do inegável talento, a sua família desaprova esta sua aspiração e tenta de todos os modos fazê-lo abandonar a música. Até que, no meio de tanta insistência em provar a todos que consegue chegar aonde quiser, Miguel acaba por evocar um encantamento que o leva para o estranho Mundo dos Mortos. Lá, encontra muitos dos seus antepassados, alguns falecidos há mais de um século, que lhes vão revelar um mistério relacionado com a sua história familiar.

Trailer


domingo, 26 de novembro de 2017

Portugal VS Brasil - LIVROS MAIS VENDIDOS


  Comentei este assunto com uma amiga, no outro dia. Quais são os Tops de Vendas em Portugal... e no Brasil?  Preparem-se... Pois estão prestes a descobrir!



Portugal 

  O livro mais vendido em Portugal foi o Vaticanum, do Ilustre José Rodrigo dos Santos, com mais de 93 000 exemplares vendidos até à data. Tenho a honra de ainda poder dizer que a maioria das obras que estão no TOP 10 de mais vendidos no país são de autores nacionais. É razão de orgulho, Portugueses!




Brasil

  O livro mais vendido no Brasil, por outro lado, foi o Viver Depois de Ti, de Jojo Moyes, com 352 330 exemplares vendidos. É com pesar que vos conto que, no TOP 10 de livros mais vendidos no Brasil, só dois são de escritores nacionais.
Não é motivo de festejo, mas só cabe ao povo brasileiro mudar isso. Lembrem-se: "Não são as editoras, nem as livrarias que escolhem o que lemos. Somos nós, com cada preconceito que imaginamos."







  É de louvar que Portugal, com o seu tamanho modesto, sustente um mercado nacional tão digno... Continuem assim! 😉

sábado, 25 de novembro de 2017

Publicações da semana 5

Esta semana, abordámos alguns dos escritores mais dotados de sempre: a Agatha Christie e os Irmãos Grimm. Como se isto não chegasse, destacámos um dia muito especial com o nosso Desafio de domingo! 

  1. Falámos do novo filme inspirado na obra da Agatha Christie, Um Crime no Expresso do Oriente. Esta escritora delicada não só conquistou os corações dos seus leitores, como o título de Dama do Crime. O seu reconhecimento é merecido! Embora este filme possua algumas falhas estruturais, não há dúvidas da beleza única da sua escrita, bem como a excentricidade das suas personagens.

  2. QUE DIA É HOJE? avivou os ParaláKensianos curiosos e mostrou que o Xadrez é muito mais de belo do que pensávamos...

  3. O Passatempo dos Irmãos Grimm não podia vir em melhor hora! O Natal aproxima-se, e com ele a oportunidade de suscitar a leitura dos nossos mais chegados. (eu sei que não sou o único a pedir livros para o Natal 😉).
Agatha Christie, Os Contos dos Irmãos Grimm

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Os Contos dos Irmãos Grimm — PASSATEMPO

Este mês, trago-vos uma obra nova, bela e saborosa.

Os irmãos Grimm alimentam a vontade por si só. Agora, imaginem os contos fantásticos destes 2 irmãos acompanhados por ilustrações dramáticas, clássicas e surreais.

Com o patrocínio da Chiada Editora, coloco a passatempo este livro: Os Contos dos Irmãos Grimm. O vencedor receberá um exemplar ao mesmo tempo que eu... 
Estou a contar os dias!

Passatempo Os Contos dos Irmãos Grimm
Para concorrer, basta:
  1. Gostar da nossa página de facebook;
  2. Gostar da página de facebook da Chiado Editora;
  3. Partilhar o passatempo, no facebook ou no google+, publicamente;
  4. Identificar três amigos que também queiram o livro num comentário, aqui ou no facebook.
Funciona como uma entrada extra:

O passatempo termina às 23H59 do dia 3 de dezembro e é válido para residentes em Portugal.
Boa Sorte😉!

Sinopse

  Neste livro serão imersos no mundo mágico de dez obras primas dos Irmãos Grimm ilustradas pela minha interpretação dessa magia.

  Gostaria que iniciassem este livro como quem começa uma odisseia, com a mente aberta para uma fabulosa aventura que vos levará a lugares inexplorados e revelará antigos ensinamentos sobre a vida e nuances da nossa maravilhosa existência.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

A NOITE QUE FORA DE NATAL/CARTA DO PAI NATAL/OS MORTOS - Opinião do Livro

Título: A Noite Que Fora de Natal; Carta do Pai Natal; Os Mortos 
Autor: Jorge de Sena; Mark Twain; James Joyce
Editora: Guerra & Paz
Sinopse: Ver aqui
Lançamento: 2016


  Este livro é uma obra editada pela Guerra & Paz e é composta por três contos natalícios distintos. Só de o ter na mão e de folhear as suas páginas vermelhas, a sua beleza e vivacidade são contagiantes! É uma coletânea peculiar e original, sendo o livro ideal para quem quer passar um dia bem disposto.   




  A Noite Que Fora de Natal, de Jorge de Sena, é o primeiro conto e o meu preferido. Consegue ser cómico, o que requer perícia e talento, principalmente com as críticas que o autor faz, ao mesmo tempo que nos dá a perceção do glorioso Império Romano, na altura em que o Cristianismo surgiu. 

  Por um lado, temos o Marco Semprónio, que considera essa religião de "um só Deus" um disparate. Fiquei com a ideia de que a personagem a compara a uma epidemia invasora, contaminando a própria Roma. O outro romano revela-nos o oposto, isto é, a filosofia típica cristã, o que delineia um contraste espetacular, enquanto os dois falam sobre o antigamente...

  O segundo conto, A Carta do Pai Natal, de Mark Twain, é o mais pequeno do trio. O que lhe falta em tamanho, existe redobrado em descrições leves e momentos de humor e afeto. Uma carta do Pai Natal a uma criança, retocando aspetos como a compaixão para com os desfavorecidos e a humildade.


   Os Mortos, de James Joyce, é o último e o maior conto deste belo livro amarelo. O enredo localiza-se numa era extremamente elegante, caracterizada por grandes costumes, respeito e integridade. A maioria do conto passa-se numa ceia anual, eximiamente preparada pelas tias de Gabriel, personagem cuja perspetiva nos acompanha até ao fim. 
Também observamos o lado contraproducente da sociedade da época, marcado por preconceitos, uma forte ligação ao passado e uma certa apatia generalizada.

O conto e o próprio livro acabam com Gabriel a dar-se conta de quão banal e vazio tem sido o seu casamento, em oposição ao romance que a sua esposa viveu quando era jovem: "Um homem havia morrido por ela." 
O conto é apelativo e aliciante, uma vez que encontramos de tudo um pouco e, esse pouco, é bom.


"Então Gretta tinha vivido aquele romance: um homem havia morrido por ela. Não o magoava muito pensar na ínfima parte que ele, como marido, tinha desempenhado na vida dela. Ficou a observá-la enquanto dormia como se ele e ela nunca tivessem vivido juntos como marido e mulher.... Lágrimas generosas encheram os olhos de Gabriel. Nunca tinha nutrido aquele sentimento em relação a mulher alguma, mas sabia que devia ser amor."






  Por outras palavras, fiquei a conhecer a esbelta coleção de capa amarela. O que penso deste volume? Acho que é uma magnífica coletânea de contos natalícios, que nos consegue surpreender na maneira como aborda o tema festivo. Foram, sem sombra de dúvida, dos contos mais cativantes que já tive oportunidade de ler. 













Uma coleção da

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Resposta ao DESAFIO DE DOMINGO — QUE DIA É HOJE?

Como muitos conseguiram desvendar, este domingo foi o Dia Mundial do Xadrez.

 A origem desta arte não é certa, pelo que há várias lendas a tentar explicá-la. Fiquei especialmente encantado com uma, que vos passo a contar:

  Numa província indiana de Taligana havia um poderoso rajá que perdeu o filho numa batalha. Desde então, o rajá entrou em constante depressão, não cuidando de si e do reino.

  Certo dia, ele foi visitado pelo sábio Lahur Sessa, que lhe apresentou um tabuleiro com 64 casas brancas e pretas intercaladas e com diversas peças que representavam tropas do exército, incluindo o próprio rajá: o Xadrez. O sacerdote explicou-lhe que o jogo daria conforto espiritual e cura para a depressão, o que, de facto, aconteceu.

  Agradecido, o rajá ofereceu uma recompensa a Sessa pela sua brilhante invenção: ele pediu somente um grão de trigo para a primeira casa do tabuleiro, dois para a segunda, quatro para a terceira, oito para a quarta e assim sucessivamente até a última casa. Surpreso com a modéstia do pedido, o rajá ordenou que fosse paga imediatamente a quantia de grãos que fora pedida.

  Após os cálculos, todavia, os sábios do rajá ficaram pasmados com o resultado que a quantidade de grãos atingiu, uma vez que toda a produção do reino durante 2.000 anos não seria suficiente para cobri-la. Impressionado com a inteligência do sacerdote, o rajá convidou-o para ser o principal vizir do reino, tendo, assim, a sua dívida perdoada.

Lendas do Xadrez
Resposta: Xadrez

terça-feira, 21 de novembro de 2017

UM CRIME NO EXPRESSO DO ORIENTE — A Opinião do Filme

Assassinato no Expresso Oriente
Título: Um Crime no Expresso do Oriente
Realizador: Kenneth Branagh
Lançamento: 9 de novembro de 2017
Trailer & Sinopse: Em anexo

Um Crime no Expresso do Oriente é, por definição, um filme de muito suspense e de alguma emoção.


  Já todos interagimos com os quebra-cabeças da Agatha Christie, quer nos filmes, quer nas séries, quer nos livros. Neste caso, acompanhamos Hercule Poirot, o detetive de maior renome mundial. Ao contrário da versão que eu conhecia dele, este é de cabelos grisalhos, de bigode ligeiramente descuidado e de alguns tiques que estranhei. Já vi a maioria da série dedicada a este detetive, todavia, ainda não adentrei no seu mundo literário, não sabendo qual das versões (a série ou o filme) é fidedigna às obras da escritora.

Crítica Um Crime no Expresso oriente

  O filme satisfez na medida em que tive interesse em desvendar a verdade escondida sobre o crime retratado. É certo que não é o melhor policial convertido em filme, principalmente devido à superficialidade das personagens. No entanto, aconselho-o para grupos de amigos: é um desafio saudável ver quem chega à verdade primeiro.
Poirot
"Todos são Suspeitos"
  Sem desvendar o final,  penso que podia ter um pouco mais de brio, nomeadamente a forma como Poirot reage. Tenho a certeza que o final do filme não segue o desfecho do livro.


Em poucas palavras, Um Crime no Expresso do Oriente é um policial razoável indicado para família e grupos de amigos que procurem um desafio à sua altura.


Sinopse


Década de 1930. Um grupo de pessoas de várias nacionalidades encontra-se a bordo do luxuoso Expresso do Oriente. A viagem é perturbada quando um financeiro norte-americano, que viajava de Istambul para Paris, é encontrado brutalmente assassinado. Por coincidência, o detective Hercule Poirot, cujos feitos lhe valeram fama internacional, encontra-se entre os passageiros. Apanhados no meio de uma tempestade de neve que obriga a uma paragem forçada do comboio, pedem a Poirot que use as suas excepcionais capacidades de dedução para encontrar o verdadeiro culpado. De uma coisa ninguém duvida: o assassino ainda está no Expresso do Oriente.

Trailer

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Com o tempo que gastamos com o telemóvel, poderíamos ler mais de 200 livros por ano!

  Não é segredo para ninguém que ler um livro nos faz crescer de diversas formas, seja ela um Romance, Biografia, Policial, etc.

  Também não é coincidência de que as pessoas de maior sucesso sejam ou outrora tenham sido leitoras vorazes.



  Pelos cálculos dos críticos, ler mais de 200 livros por ano seria canja, se não houvesse redes sociais. 
  Cada pessoa lê, em média, 300 palavras por minuto e um livro normal tem em volta de 30-50 mil palavras. Feitas as contas, precisamos de 400 horas, mais coisa menos coisa, para ler 200 livros num ano. 










É muito? Talvez seja pouco, já que os cidadãos europeus gastam uma média de 1600 horas a ver televisão e mais de 650 nas redes sociais... Enfim, se fossem gastas lendo, viajaríamos por mais de 1000 livros ao ano.


  Não percas a publicação que estou a preparar, onde ficarás a saber os conselhos para evitares as horas sentadas no sofá a olhar para o televisor manipulador, acerca do que podes fazer para CORTAR com as horas gastas a fazer "pouco mais do que nada".

domingo, 19 de novembro de 2017

sábado, 18 de novembro de 2017

Publicações da semana 4

Tivemos uma semana especialmente dedicada aos Filmes & Leituras, que podem aproveitar para encontrar prendas natalícias.


  •   Começámos com o nosso habitual DESAFIO DE DOMINGO. Desta vez, descobrimos que quase ninguém sabia como surgiu o Dia de São Martinho ( Resposta ao DESAFIO do São Martinho);
  •   No decorrer da semana, partilhámos a Opinião do filme das alterações climáticas: GEOSTORM e do título mais esperado de novembro: LIGA DA JUSTIÇA;
  •  Também houve leitura com fervura! Partilhámos a esperada recensão de ORIGEM o último bestseller do Dan Brown e de um livro que me pasmou pela qualidade: VERONIKA DECIDE MORRER de Paulo Coelho.


sexta-feira, 17 de novembro de 2017

LIGA DA JUSTIÇA — A Opinião do Filme

Justice League Review
Título: Liga da Justiça
Realizador: Zack Snyder
Lançamento: 16 de novembro de 2017
Trailer & Sinopse: Em anexo

A Liga da Justiça tem qualidade, um enredo satisfatório e um elenco que começa a consolidar.


 Já conhecíamos a Mulher-Maravilha, o Super-Homem, o Batman  e o Flash de filmes e séries anteriores. No entanto, pouco sabíamos do Cyborg e do Aquaman. Com este filme, fiquei satisfeito por isso mesmo: Pude conhecer uma boa parte do universo da DC (uma das maiores editoras de comics). 
Cenas pós-créditos da Liga da Justiça
  Tiro o chapéu à atriz da Mulher-Maravilha, Gal Gadot. No meu ponto de vista, foi a melhor do elenco, realizando cenas intensas e com humor. A sua personagem está muito bem desenvolvida.
  Por outro lado, desiludi-me com o Henry Cavill, o ator do Super-Homem. Representou de uma forma estranha, com sorrisos que não eram verdadeiros. Pareceu-me que este super-herói foi largado no filme só porque sim (embora isto já seja uma crítica para o roteiro).

  Os efeitos visuais são de apreciar, todavia, é escusada a sessão 3D. (Até sair da sala de cinema, não me lembrei que estava a ver uma sessão 3D). Relembro-vos para ficarem até ao final. O filme tem duas cenas pós-créditos.

  Caso vos perguntem, este filme tem semelhanças com a Marvel, nomeadamente na boa disposição e humor que as personagens adotaram (e ainda bem).


 Voltaremos a falar do universo da DC em breve, mal saia o filme do Aquaman (final de 2018).


Sinopse

  Constatando um aumento de violência e actos de terrorismo, Batman e Mulher-Maravilha unem-se a Flash, Aquaman e Ciborgue, e formam a Liga da Justiça, uma força sobre-humana cujo objectivo é proteger o planeta de eventuais ameaças. Quando se apercebem de que a Terra está a ser invadida pelo vilão Steppenwolf, líder das forças alienígenas de Darkseid, os super-heróis sabem que enfrentam um inimigo com poderes extraordinários. Para que a vitória seja possível, têm de confiar uns nos outros e manter-se unidos na causa que transformou Clark Kent em Super-Homem e que, há poucos meses, o fez sacrificar a própria vida…

Trailer

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

VERONIKA DECIDE MORRER — Obra de Mestre

Paulo Coelho
Título: Veronika Decide Morrer
Autora: Paulo Coelho
Sinopse: Em anexo
Lançamento: meados de 1998
Editora: Pergaminho

Esta segunda-feira aventurei-me pelas páginas do escritor brasileiro Paulo Coelho. Com este proeminente escritor, conheci três autores mundiais em três semanas: Stephen King (A Luz), Dan Brown (Origem) e Paulo Coelho (Veronika Decide Morrer), rigorosamente por esta ordem.


  Tanto a obra A Luz de Stephen King como a Origem de Dan Brown me desiludiram. São ambos livros dotados de uma escrita admirável, todavia, falta o mais importante: espontaneidade. Paulo Coelho ocupou esta lacuna, fazendo-o com uma escrita soberba.


Veronika Decide Morrer de Paulo Coelho
 Normalmente, gosto de saborear os livros e demorar uma, talvez duas, semanas a lê-los. Este ano, só tinha saído da rotina com 1 título, O Escaravelho da Morte, que li em escassas horas. Agora, tenho de reformular este número para 2. Veronika Decide Morrer é das melhores obras brasileiras que li. A sua história é tão bonita e tão simples, com personagens coesas e que vão amadurecendo connosco. São 242 páginas de filosofias que nos recordam que a loucura é somente o sal da vida.

Em contrapartida, tenho a apontar a previsibilidade do final que, embora belo, se aproxima do banal. Tinha a certeza de que o desfecho ia acabar de uma maneira e, mesmo assim, valeu a pena ler cada página até lá chegar.

Assim, partilho o reconhecimento que esta obra merece. Na minha perspetiva, Veronika Decide Morrer é euforia e sabedoria. 
Cabe-vos a vocês confirmar, ou não, a minha opinião. 


Sinopse


  No dia 11 de Novembro de 1997, Veronika decidiu que havia - afinal! - chegado o momento de se matar.» É assim que começa o romance de Paulo Coelho. Veronika é uma jovem eslovena que decide suicidar-se, cansada que está da vida que leva. Salva no último instante, dá entrada num hospital psiquiátrico. Aí conhece Zedka, internada por depressão, transformada à custa do tratamento numa "mulher louca" e feliz; Mari, advogada que integra o grupo A Fraternidade, organizador de palestras sobre a meditação sufi, e parte para a Bósnia em missão humanitária em busca de aventura; Eduard, um jovem belo e rico que se faz passar por esquizofrénico; e o Dr. Igor, o psiquiatra do hospital. O autor, que esteve em Portugal para o lançamento do livro, revelou ele próprio ter estado internado num hospital psiquiátrico, experiência que lhe valeu para a escrita desta obra sobre a loucura. E também sobre o amor e a sabedoria, as relações com os outros, atravessada pelo esoterismo.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

ORIGEM de Dan Brown — A Opinião da Obra

Título: Origem
Autora: Dan Brown
Sinopse: Em anexo
Lançamento: outubro de 2017
Editora: Bertrand Editora

Este é o título ideal para quem quer reviver/conhecer Barcelona. Dan Brown tem uma escrita bela e culta, embora tenha concebido um final previsível e que não corresponde às expectativas fomentadas pela introdução.


  Não costumo seguir as tendências, muito menos as literárias. Gosto de apoiar obras e mundos encorpados que ainda não tiveram espaço para brilhar. No entanto, abri uma exceção para o Dan Brown. Com todo o alvoroço que envolve este escritor de mistério, senti-me na obrigação de conhecer pelo menos um pouco dele. Por isso, adentrei na Origem.

Review of Origin written by Dan Brown
 As primeiras páginas são bombásticas! Foi pena as seguintes não terem mantido o ritmo. Dan Brown é conhecido pelas suas obras de suspense fora do comum. Já tinha tido um cheirinho dos seus truques com os filmes inspirados nos seus livros, e, talvez por isso e por já ter lido muitos thrillers, adivinhei tudo o que ia acontecer. No final, fiquei desiludido.

  Por outro lado, reconheço-lhe a qualidade literária. Ele tem uma escrita bonita e muito acessível. Para quem já conhece o seu universo literário, Robert Langdon, o professor de simbologia, volta a acompanhar-nos numa viagem alucinante. 

  O enredo de Origem passa-se em Barcelona que, coincidência ou não, foi a última cidade estrangeira que visitei. Adorei ler parágrafos e relembrar-me de como era cada maravilha que lconheci... Ah! Agora, sei que devia ter prestado mais atenção a alguns pormenores. A parte mais delicada e deliciosa da obra é, sem dúvida, o dilema do reinado espanhol.


Livro de Dan Brown Perde cor


 Tenho uma repreensão a fazer: 


NÃO ESTOU SATISFEITO COM A CAPA DO LIVRO


 Mais que uma boa apresentação, o livro tem de ter um título. Como tal, não podem escrever as letras com brilhantes e esperar... que cole!


 VEJAM SÓ:


Dan Brown publicou um livro interessante, embora não me tenha despertado curiosidade especial para continuar a ler a coleção.


Sinopse

Bilbau, Espanha.
Robert Langdon, professor de simbologia e iconologia religiosa da universidade de Harvard, chega ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbau para assistir a um grandioso anúncio: a revelação da descoberta que «mudará para sempre o rosto da ciência.» O anfitrião dessa noite é Edmond Kirsch, bilionário e futurista de quarenta e dois anos cujas espantosas invenções de alta tecnologia e audazes previsões fizeram dele uma figura de renome a nível global. 

Kirsch, um dos primeiros alunos de Langdon em Harvard, duas décadas atrás, está prestes a revelar um incrível avanço científico… que irá responder a duas das perguntas mais fundamentais da existência humana. No início da noite, Langdon e várias centenas de outros convidados ficam fascinados com a apresentação tão original de Kirsch, e Langdon percebe que o anúncio do amigo será muito mais controverso do que ele imaginava. Mas aquela noite tão meticulosamente orquestrada não tardará a transformar-se num caos e a preciosa descoberta do futurista pode muito bem estar em vias de se perder para sempre.

Em pleno turbilhão de emoções e em perigo iminente, Langdon tenta desesperadamente fugir de Bilbau. Tem ao seu lado Ambra Vidal, a elegante diretora do Guggenheim que trabalhou com Kirsch na organização daquele provocador evento. Juntos, fogem para Barcelona, com a perigosa missão de localizarem a palavra-passe que os ajudará a desvendar o segredo de Kirsch.

Percorrendo os escuros corredores de história oculta e religião extremista, Langdon e Vidal têm de fugir de um inimigo atormentado que parece tudo saber e que parece até de alguma forma relacionado com o Palácio Real de Espanha… e que fará qualquer coisa para silenciar para sempre Edmond Kirsch.

Numa viagem marcada pela arte moderna e por símbolos enigmáticos, Langdon e Vidal vão descobrindo as pistas que acabarão por conduzi-los à chocante descoberta de Kirsch… e a uma verdade que até então nos tem escapado e que nos deixará sem fôlego.


terça-feira, 14 de novembro de 2017

Resposta ao DESAFIO DE DOMINGO — COMO É QUE SURGIU O DIA DE SÃO MARTINHO?


Normalmente, na véspera e no Dia de São Martinho o tempo melhora e o sol aparece, tal como sucedeu com São Martinho. Devido ao seu ato, estes dias chamam-se Verão de São Martinho.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

GEOSTORM: AMEAÇA GLOBAL — A Opinião do Filme

Título: Geostorm — Ameaça Global
Realizador: Dean Devlin
Lançamento: 19 de outubro de 2017
Trailer & Sinopse: Em anexo


Geostorm — Ameaça Global reata o tema das alterações climáticas, com o sonho de roubar o pódio ao clássico O Dia Depois de Amanhã.

 Assisti a este filme com alguma expectativa. Não esperei que alcançasse a perícia do realizador Roland Emmerich ao conceber O Dia Depois de Amanhã e ainda bem! O enredo é satisfatório, embora tenha algumas cenas demasiado forçadas e óbvias. Fiquei mal impressionado com os efeitos visuais, que me recordaram as tardes a ver os filmes do canal Scifi, engraçados e sem orçamento para enfeites.

Geostorm - Ameaça Global

Apesar de tudo, Geostorm não deixa de ser um filme agradável para se ver numa tarde de domingo, onde as dimensões reduzidas da televisão reduzirão as limitações dos efeitos visuais.


Sinopse

  Os líderes das principais potências mundiais juntaram-se para resolver de uma vez por todas o problema das catástrofes naturais e criaram um sistema de satélites que controla o clima e previne que desastres aconteçam. Só que, um dia, esse sistema é usado para o mal e começa a atacar em vez de proteger. Gerard Butler faz o papel de Jake, um cientista especialista no assunto, que tem como tarefa investigar o que se passa e acaba por raptar o Presidente americano (Andy Garcia) para salvar o dia.

Trailer