O Predador | Análise da sequela (2018) - Para Lá da Kapa

DESTAQUES DA SEMANA

terça-feira, 25 de setembro de 2018

O Predador | Análise da sequela (2018)

Título: O Predador (The Predator)
Realizador: Shane Black
Estreia: 13 de setembro de 2018
Idade que Recomendamos: +12 (cenas sangrentas)
Género: Ação, Drama e Ficção Científica
Duração: 107 minutos

Mais ação que Sci-Fi, "O Predador" brilha em efeitos especiais. Cativa, embora não tenha história (quase) nenhuma. Estás pronto para a caçada?


"O Predador" é a sequela do icónico filme de 1987, "Predador". Com um toque de ciência contemporânea, tem pouco a acrescentar à saga.

Por um lado, deram uma nova razão para a visita dos 'predadores' à Terra. Também tornaram estes extraterrestres mais acessíveis e coerentes, aproximando-os das qualidades e limitações dos seres humanos ao mesmo tempo que os afastam da sua natureza enigmática.
Por outro lado, abordaram uma ciência fortemente aliada ao poder militar e, com isto, troçaram de ambas as áreas. Este trocadilho pode resultar em gargalhadas ou tédio, consoante as convicções do espectador.


O modo como os 'predadores' reagiram teve pouco a ver com o filme original, na medida em que se comportaram mais como humanos presunçosos do que como criaturas superiores de intelecto e perspicácia.

Embora introduzam as personagens, os primeiros trinta minutos aborrecem como se os guionistas tivessem dado tudo por tudo e, mesmo assim, falhassem em encontrar uma forma de apresentar o elenco de maneira envolvente. Felizmente, o filme depressa ganha um ritmo agradável, que se mantém até ao fim.
Continuando, o guião contém clichés, tanto a nível de protagonistas como de contexto (quando abordo o termo 'clichés' não me refiro a semelhanças com o filme anterior, mas antes a outros títulos atuais).

O Predador | Análise da sequela (2018)

Em torno do filme, domina uma teoria muito conhecida entre os profissionais da área, mas ainda pouco divulgada pela população — a ideia de que o autismo pode trazer benefícios à mente humana. O conceito tem boas intenções, embora seja importante referir que apenas uma pequena percentagem das pessoas diagnosticadas com autismo tem inteligência excecional. A maioria possui limitações a nível físico e mental.

Concluindo, "O Predador" não tem terror ou horror, mas uma dose considerável de drama e ação. Gostei dos cenários, principalmente das instalações científicas e da entrada e saída exclusiva do laboratório. Em termos de elenco, saliento o pequeno ator Jacob Tremblay, que representou a sua personagem com convicção.

Contextualizado em 2018, "O Predador" não é uma sequela lustrosa. Assemelha-se a um filme de ação com vestígios de terror e ficção científica.


Sinopse | CONHECE A SEQUELA DESTES CAÇADORES DO ESPAÇO

Os caçadores mais letais do universo estão mais fortes, mais inteligentes e mais mortais do que nunca, aperfeiçoados geneticamente com o DNA de outras espécies. Quando um rapaz acidentalmente desencadeia o seu regresso à Terra, apenas uma tripulação disfuncional de ex-soldados e um professor de ciências descontente pode impedir o fim da raça humana.

Sequela do filme de ficção científica de 1987, "Predador".

Trailer | ENTRA NA REALIDADE ESCALDANTE DE O PREDADOR


Avaliamos — 3,4/5,0 estrelas


VÊ TAMBÉM


Insidious: A Última Chave | Crítica ao terror

Insidious: A Última Chave | Crítica ao terror


The Nun — A Freira Maldita | Análise do terror

The Nun — A Freira Maldita | Análise do terror


Sem comentários:

Publicar um comentário