Venom | Análise do filme Marvel - Para Lá da Kapa

DESTAQUES DA SEMANA

domingo, 21 de outubro de 2018

Venom | Análise do filme Marvel


venom 2018
Título: Venom
Realizadores: Ruben Fleischer
Estreia: 04 de outubro de 2018
Idade que Recomendamos: +10
Género: Ação, Drama, Scifi
Duração: 112 minutos

"Venom" não parece um filme Marvel. Com uma gravidade bem-humorada, apresenta um guião eletrizante e um conjunto credível de sensações. Entramos como espectadores, saímos como cúmplices. 


Na minha perspetiva, os filmes Marvel têm estado numa espiral de decadência (caso queiras saber mais ou desmentir-me, carrega aqui 😉). Tanto que, quando chegou a vez de "Venom", estava já num estado de profundo ceticismo. O filme surpreendeu, não só por evitar o dramatismo exagerado dos últimos blockbusters da Marvel, mas também pelo humor digno e contrário às comédias disparatadas (como o "Homem-Formiga e a Vespa" e "Deadpool 2"). 

A primeira meia-hora de "Venom" esteve aquém do resto do filme. Embora tenha sido necessário para contextualizar o nosso protagonista, acredito que ainda podia ser aprimorado. Depois desta parte, entramos numa viajem de auto-descoberta espantosa e eletrizante. É sabido que esta longa-metragem é apenas o começo de Venom, a apresentação formal do anti-herói, digamos. Todavia, em vez de apresentarem a personagem com uma forte componente visual, como foi o caso de "Pantera Negra", os cineastas optaram por uma vertente mais sensacionalista, e acertaram em cheio. 

"Venom" tem uma notável componente sensitiva. A meio do filme, encontrei-me a sentir inveja da personagem. Isto é comum? Não. 

Venom | Análise do filme Marvel
Eddie Brock e o Simbionte (Venom)

Certamente, não basta um guião recheado de sensações. Para atingir o público, a história tem de ser minimamente credível e, se possível, realista. Ora, em oposição à maioria dos filmes Marvel dos últimos anos, "Venom" apresenta um mundo similar ao nosso, e o que fantasia é regido da bem-vinda ficção científica.

Em relação ao elenco, temos Tom Hardy como Eddie Brock/Venom, Riz Ahmed como o vilão-visionário Carlton Drake e Michelle Williams como a adorada Anne Weying. Enquanto os nossos heróis Eddie e Anna assentam como uma luva na história, o vilão Carlton pareceu-me mecanizado, como se tivesse de ser o vilão porque... bem, porque sim. Ainda refiro a atriz Jenny Slate, que representou fielmente a mente científica — Qual é o limite da ciência?

Venom, Crítica de cinema

Finalmente, falemos da componente visual de "Venom". Os efeitos e adereços cénicos são aceitáveis. Não são nada de outro mundo, mas acompanham a tenacidade do guião.

"Venom" destaca-se pela forma como interage com o público. Tenta ser mais do que uma história da carochinha, e consegue-o.


P.S. — Para variar, contrariei a crítica americana, como podes ver pelo IMDb. Concordas com que perspetiva?

Sinopse | CONHECE O FILME MARVEL DO MOMENTO

Um dos mais complexos e enigmáticos anti-heróis da Marvel chega ao grande ecrãs com Tom Hardy no papel do letal protetor reconhecido como... Venom.

No seguimento de um escândalo, o jornalista de investigação Eddie Brock tenta descobrir o que se passa na misteriosa Life Foundation, mas acaba por se tornar hospedeiro involuntário de um alienígena simbionte, conferindo-lhes super-poderes e um alter ego violento.

Trailer | APRESENTA-TE AO VENOM


Avaliamos — 4,2/5,0 estrelas

Venom | Análise do filme Marvel

VÊ TAMBÉM


Vingadores: Guerra do Infinito | Crítica

Vingadores: Guerra do Infinito | Crítica


O Predador | Análise da sequela (2018)

O Predador | Análise da sequela (2018)


Sem comentários:

Publicar um comentário