Maio 2019 | Para Lá da Kapa

DESTAQUES DA SEMANA

terça-feira, 7 de maio de 2019

Um Ato de Fé | Análise do Filme


Título: Um Ato de Fé (Breakthrough )
Realizador: Roxann Dawson
Argumentista: Grant Nieporte
Estreia: 7 de maio de 2019
Idade que Recomendo: +8
Género: Drama & Biográfico
Duração: 116 minutos

Muito além duma vivência biográfica e religiosa, "Um Ato de Fé" é comovente, enternecedor e autêntico.


Quem só viu o trailer pode pensar — «"Um Ato de Fé" é baseado numa história verídica em que acontece um conjunto de milagres justificados pela crença religiosa». Apesar desta premissa ser verdadeira, é fundamental salientar que não é preciso ser religioso ou sentimental para ser comovido por "Um Ato de Fé". Houve um gradiente emocional praticamente durante toda a segunda metade do filme, que proporcionou narizes fungosos e olhos lacrimosos a diversos espectadores na sala de cinema, incluindo pessoas com 'coração de pedra'.

O guião é extremamente simples, começando com o comportamento de um adolescente normal, apresentando as suas aspirações, alegrias e preocupações... estou certo de que muitos pais e filhos se devem ter identificado nesta cena inicial.
De seguida, vem o terrível acontecimento, percursor da emoção e dos milagres que se sucedem, que coloca à prova a força incondicional de uma mãe (Joyce). A meu ver, uma das grandes qualidades do filme é o percurso das personagens. De uma forma ou doutra, todas elas cresceram durante esta vivência intensa, algo admirável de transpor da realidade para o cinema.

Breakthrough

Com uma ou outra exceção, o elenco esteve bastante bem, principalmente Chrissy Metz, que interpretou Joyce. Metz representou formidavelmente bem, tal como o ator Marcel Ruiz, que representou o seu filho. Ruiz conseguiu retratar a vida sensível de um adolescente e como um evento deste calibre pode mudar a nossa perceção do que é importante. Sendo totalmente esperado, o final não deixou de ser tocante pela prestação destes dois grandes atores.

É claro que este não é um filme cinco estrelas, contudo, há que valorizá-lo por não cair em exageros, como muitos outros títulos que abordam religião, a adoção e a perda. "Um Ato de Fé" explora todos estes temas e ainda outros tantos na dose certa.

Só para terminar, disseram-me, há poucos dias: "Se queres um filme para chorar, vai ver "Vingadores: Endgame". Eu discordo (mesmo) e antes afirmo: "Se queres um filme que mexa contigo, tens de conhecer 'Um Ato de Fé'".

Sinopse | CONHECE O FILME EMOTIVO DO MOMENTO

“Um Ato de Fé” baseia-se na história real do amor inabalável duma mãe confrontada com probabilidades impossíveis. Quando o filho adotivo de Joyce Smith, John, cai num lago gelado do Missouri, toda a esperança parece perdida. Mas, enquanto John permanece no hospital num coma profundo, Joyce recusa-se a desistir.

Trailer | EMOCIONA-TE COM UM ATO DE FÉ




Avalio — 88 em 100

  • Originalidade (clichês...):
    • Conceitos originais (até 0,25) — 0,15
    • Aproveitamento dos conceitos originais (0,25) — 0,15 (nunca superior à alínea anterior)
  • Porque sim (o que penso que merece, até 0,5) — 0,45
  • Cenários (até 0,25) — 0,2
  • Elenco:
    • Genuinidade/Naturalidade/Destreza (até 0,50) — 0,45
    • Empatia (até 0,25) — 0,25
    • Inédito/Impacto (0,25) —  0,20
  • Técnica (duração & outras qualidades, até 0,25) — 0,20
  • Guião:
    • Coesão/Lógica (até 0,5) — 0,45
    • Fresco/Acrescenta (até 0,25) — 0,20
    • Cativante (até 0,25) — 0,20
  • Efeitos, adereços... (até 0,25) — 0,25
  • Banda sonora (até 0,25) — 0,25
  • Fiel ao tema (até 0,25) — 0,25
  • É um filme:
    • Consegue ver-se (0 ou 0,25) — 0,25
    • É mesmo um filme (0 ou 0,25) — 0,25 (dependente da alínea anterior)
  • Exigência (filme de grande produtora..., até 0,25) — 0,25

TOTAL — 4,40 em 5,00 = 88%

VÊ TAMBÉM

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Seduz-me Se És Capaz | Análise da Comédia

Long Shot
Título: Seduz-me Se És Capaz (Long Shot)
Realizador: Jonathan Levine
Estreia: 1 de miaio de 2019
Idade que Recomendo: +14 (maturidade)
Género: Comédia, drama & romance
Duração: 125 minutos

Provavelmente um dos filmes mais robustos desta temporada de cinema, "Seduz-me Se És Capaz" cativa com um humor sincero e real.


De momento, temos uma panóplia de filmes extremamente populares no cinema, desde "Shazam" e "Capitão Marvel" a "Hellboy" e ao invicto "Vingadores: Endgame". Sem me querer demorar neste tema, penso que todos estes títulos carecem de algo fundamental, um guião sólido (excetuando, talvez, "Shazam", embora peque noutros aspetos). Pelo contrário, "Seduz-me Se És Capaz" é uma comédia de menor dimensão e mais humilde. Pretende apresentar algo mais genuíno, ao invés de um blockbuster nitidamente concentrado em 'subir as audiências e fazer dinheiro'. 

Os lemas do filme, ainda que, como já referi, sejam modestos, são habilmente transmitidos ao espectador, desde ao "amar despretensiosamente" até à realidade de todos termos a nossa individualidade e intimidade, incluindo os indivíduos mais célebres e atarefados. O conceito da igualdade de género também é abordado, quase sem a redução ao ridículo/cena forçada típica dos filmes que pretendem passar esta mensagem (como a cena feminista de "Vingadores: Endgame" que, ainda que deslumbrante, parece demasiado forçada).

Seduz-me Se És Capaz

Os cenários, ainda que relativamente simples — como o interior de um avião, o evento da aurora boreal e a magnificência de uma mansão — estão bem enquadrados e ficam na memória. "Seduz-me Se És Capaz" não está carregado de piadas ou trocadilhos humorísticos, mas antes de um bom humor contagiante e cativante, capaz de entreter à meia-noite e mesmo com a sua longa duração (2 horas).

Ressalta dizer que esta comédia não é de todo uma obra-prima. O final, por exemplo, foi apressado e encerado de forma a terminar como qualquer filme 'que se preze e queira ser prezado' — E Viveram Felizes Para Sempre.... Também houve alguns aspetos dispensáveis, como a crítica subjacente na personagem do presidente dos EUA, talvez demasiado disparatada (embora a mensagem também seja habilmente transmitida).

Seduz-me Se És Capaz

Por fim, falta falar do elenco. Os dois protagonistas são interpretados por Charlize Theron (de "A Branca de Neve e o Caçador", "Atomic Blonde - Agente Especial" e "Mad Max: Estrada da Fúria") e Seth Rogen (de "Má Vizinhança"). Embora as mais recentes comédias de Seth não tenham sido nada de especial, este conseguiu a parceira ideal, Charlize, que emparelha e adoça o seu humor mordaz. Esta dupla propõe uma história honesta, pelo menos até perto do final, aliada a uma boa dose de ação, de gargalhadas e de espontaneidade. Devido à intimidade apresentada, não é um filme indicado para crianças.

Sinopse | CONHECE SEDUZ-ME SE ÉS CAPAZ

Fred Flarsky é um jornalista que, devido à sua escrita (excessivamente) arrebatada, está novamente desempregado. Um dia, por casualidade, encontra Charlotte Field, que em tempos foi sua "babysitter" mas que hoje se transformou numa das mais influentes mulheres do mundo. De secretária de Estado, ela concorre agora à presidência dos EUA. Contente por voltar a vê-lo, Charlotte contrata Fred, que a conhece há várias décadas, para escrever os seus discursos e para os transformar em algo menos solene do que o habitual. Contudo, o que parecia ser uma parceria estritamente profissional depressa vai dar lugar a algo mais…

Trailer | ENTRA NA COMÉDIA DO MOMENTO


Avalio — 84 em 100

  • Originalidade (clichês...):
    • Conceitos originais (0,25) — 0,15
    • Aproveitamento dos conceitos originais (0,25) — 0,15 (nunca superior à alínea anterior)
  • Porque sim (o que penso que merece, 0,5) — 0,4
  • Cenários (0,25) — 0,25
  • Elenco:
    • Genuinidade/Naturalidade/Destreza (0,50) — 0,4
    • Empatia (0,25) — 0,25 
    • Inédito/Impacto (0,25) —  0,2
  • Técnica (duração & outras qualidades, 0,25) — 0,25
  • Guião:
    • Coesão/Lógica (0,5) — 0,35
    • Fresco/Acrescenta (0,25) — 0,2
    • Cativante (0,25) — 0,25
  • Efeitos, adereços... (0,25) — 0,2
  • Banda sonora (0,25) — 0,2
  • Fiel ao tema (0,25) —0,25
  • É um filme:
    • Consegue ver-se (0 ou 0,25) — 0,25
    • É mesmo um filme (0 ou 0,25) — 0,25
  • Exigência (filme de grande produtora..., 0,25) — 0,2

TOTAL — 4,20 em 5,00 = 84%


VÊ TAMBÉM


Johnny English Volta a Atacar | Crítica à comédia

Johnny English Volta a Atacar | Crítica à comédia



O Espião Que Me Tramou | Análise do filme

O Espião Que Me Tramou | Análise do filme